VÍDEO BRASILEIRO É FINALISTA EM CONCURSO MUNDIAL NA AUSTRÁLIA

postado 09/04/2019

Gravado na Fundação Pró-Rim, produção retrata interação entre pacientes de hemodiálise com artistas da Escola Bolshoi e do Instituto Core de Música

A Fundação Pró-Rim é uma das seis finalistas do concurso internacional de vídeos do ISN Community Award. Está concorrendo com vídeos da Austrália, Alemanha, Malásia e Kosovo. É o único vídeo do continente americano classificado no concurso. O resultado da premiação ocorrerá em 13 de abril durante o ISN Congresso Mundial de Nefrologia 2019, em Melbourne, Austrália. Na ocasião, a pesquisadora da Pró-Rim, Fabiana Baggio Nerbass, representará a entidade.

O vídeo, com 3 minutos de duração, mostra a importância da humanização e da arte no tratamento de hemodiálise, melhorando o bem estar do paciente e oportunizando novas experiências de vida. Segundo o presidente da Fundação Pró-Rim, Dr. Marcos Alexandre Vieira, um tratamento humanizado faz a diferença naquilo que mais se espera como resultado no tratamento aos pacientes, que é o prolongamento da vida com mais qualidade.

“A evolução tecnológica tem contribuído cada vez mais na medicina, mas isso não substitui aspectos de humanização tão claros demonstrados neste vídeo”, comenta o medico nefrologista e presidente da Fundação Pró-Rim, Dr. Marcos Alexandre Vieira.


https://www.prorim.org.br/videofinalista


Ballet e música clássica na sala de diálise.

As cenas do vídeo finalista foram gravadas durante as apresentações na Semana do Renal de 2018. Na produção são contempladas as apresentações dos alunos da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil e do Instituto Core de Música. Para a Diretora da Escola Bolshoi, Célia Campos, a interação entre bailarinos e pacientes retrata valores essenciais como solidariedade, amor ao próximo e gratidão.

“São sentimentos algumas vezes esquecidos no nosso dia a dia, mas quando acontecem nos lembram do nosso lado humano do simplesmente ser e amar. O vídeo reflete bem estes sentimentos e é merecedor desta conquista" completa. Para o Diretor Artístico do Instituto Core de Música, Sergio Ogawa, a arte e a música, por sua energia contagiante, podem aliviar a tensão, reduzir a ansiedade e, por conseqüência, desviar a atenção da pessoa do seu sofrimento. “Estamos felizes por realizar isso junto aos pacientes de hemodiálise e também pelo destaque internacional que este concurso trouxe para essa parceria de arte e saúde”.




+www