Confira o resumo do artigo publicado este mês no JASN sobre o tratamento da nefropatia membranosa idiopática em pacientes com síndrome nefrótica

postado 29/09/2017

"Safety of Rituximab Compared with Steroids and Cyclophosphamide for Idiopathic Membranous Nephropathy"


 


Jan A.J.G. van den Brand,* Piero Ruggenenti,†‡ Antonietta Chianca,‡ Julia M. Hofstra,*


Annalisa Perna,‡ Barbara Ruggiero,‡ Jack F.M. Wetzels,* and Giuseppe Remuzzi†‡


 


*Department of Nephrology, Radboud University Medical Center, Nijmegen, The Netherlands; †Unit of Nephrology,


Azienda Socio Sanitaria Territoriale Ospedale Papa Giovanni XXIII, Bergamo, Italy; and ‡IRCCS - Instituto di Ricerche


Farmacologiche “Mario Negri”, Department of Renal Medicine, Clinical Research Center for Rare Diseases “Ado e Cele


Daccò”, Ranica, Bergamo, Ital


 


A maioria dos guidelines recomenda o uso cíclico  de cortocosteróides mais o de ciclofosfamida (St-Cf) para pacientes portadores de de nefropatia membranosa idiopática sob o risco de progressão para DRCT. Nestes pacientes o  Rituximab (RTX) pode ser uma alternativa segura. Neste studo retrospectivo , numa coorte observacional . comparou-se o tempo de desenvolvimento de qualquer efeito adverso (desfecho primário); eventos severos ou não; remissão completa e parcial da síndrome nefrótica e aumento da creatinina (2x valor basal) , evolução para DRCT ou óbito entre  100 pacientes tratados com Rtx e 103 que receberem doses diarias de  ST-Cf. Os pacientes forma monitorados com protocolos estabelecidos e as carcteristicas basais foram ajustadas por meio da análise de regressão de Cox. Ao longo de 40 meses  de seguimento (mediana) o grupo com RTX  teve significativamente menor numero de eventos adversos do que o grupo da ST-Cf group (63 versus 173; P,0.001), tanto severos (11 versus 46; P,0.001) como não severos (52 versus 127; P,0.001). A incidência cumulativa de  qualquer evento inicial (35.5% versus 69.0%; P,0.001), severo (16.4% versus 30.2%; P=0.002), ou não (23.6% versus 60.8%; P,0.001) foi significativamente difrente entre os grupos . Indices probabilidade de risco ajustada (IC de 95%) entre   os grupos de RTX e ST-Cf foi de 0.27 (0.16 - 0.44) para qualquer evento inicial 0.32 (0.15 - 0.68) para eventos adversos severos, e 0.23 (0.13 - 0.41) para não severos . Embora a incidencia cumulativa de remissão parcial se apresentar baixa no grupo  RTX , os indices completos de remissão e de desfechos clínicos renais não diferiram significativamente entre os grupos. Em virtude  do perfil de segurança superior os autores sugerem que o Rtx possa substituir a ST-Cf    como a terapia inicial para o tratamento da nefropatia membranosa idiopática nos pacientes com sindrome nefrótica.

+www