Effects of non-pharmacological interventions on urinary citrate levels: a systematic review and meta-analysis dos autores: Pachaly MA, Baena CP, Buiar AC, de Fraga FS, Carvalho M.

postado 05/08/2016

Confira em nosso Blog um resumo do artigo recém-publicado neste mês no Nephrology Dialysis Tranplantation (Nephrol Dial Transplant. 2016 Aug;31(8):1203-11). intitulado:


Effects of non-pharmacological interventions on urinary citrate levels: a systematic review and meta-analysis dos autores:  Pachaly MA, Baena CP, Buiar AC, de Fraga FS, Carvalho M.


 


RESUMO


Introdução: A hipocitraturia, definida como excreção urinária de citrato menor que 320 mg/dia para adultos, é um dos principais fatores de risco paranefrolitíase, presente em 20 a 60% dos pacientes. A terapia farmacológica com citrato é comprovadamente eficaz em pacientes litiásicos hipocitratúricos. Entretanto, a intolerância gastrointestinal e administração por tempo prolongado e em várias tomadas ao dia diminui a adesão ao tratamento. Por estes motivos, fontes dietéticas para reposição de citrato são recomendadas por diretrizes nacionais e internacionais. O objetivo deste estudo foi revisar de modo sistemático e quantificar a evidência dos efeitos de intervenções não- farmacológicas na excreção urinária de citrato e na nefrolitíase.


Métodos: Foram pesquisadas diversas bases de dados (MEDLINE/PubMed, Embase, Cochrane Library, Scopus, Scielo, LILACS) e realizada busca manual por artigos publicados até julho de 2014. Foi utilizado o protocolo PRISMA para a revisão sistemática. Foram incluídos estudos controlados de terapias não- farmacológicas que avaliaram a citraturia ou a ocorrência de nefrolitíase pré epós-intervenção. Para meta-análise dos resultados, utilizaram-se os efeitos fixoe aleatório com intervalo de confiança de 95% (IC95%). Para análise da heterogeneidade entre os subgrupos foi empregado o I-squared (I²). O viés depublicação foi avaliado utilizando o funnel plot. Foi utilizado o nível de 5% para denotar significância estatística.


Resultados: De 445 estudos identificados, 13 foram incluídos, com 358participantes com média de idade de 43±11 anos. As terapias não farmacológicas foram agrupadas em: sucos de frutas, refrigerantes e refrescos, água mineral, dieta com alto teor de fibras e dieta com baixo teor de proteínas de origem animal, e um extrato vegetal. Seis estudos (6/13) relataram efeitos em indivíduos sem nefrolitíase. Os sucos de frutas comerciais aumentaram a citraturia em 167,2 (65,4-269) mg/dia, apesar da alta heterogeneidade observada nos estudos que reportaram este efeito (I2=88,1%, p<0,001).


Conclusão: Não encontramos evidências de que a abordagem nãofarmacológica, quando considerada de forma global, provoque elevação dos níveis de citrato urinário ou redução da recorrência de cálculos urinários. No subgrupo de sucos de frutas comerciais, que possuía elevada heterogeneidade, houve elevação da citraturia. Características metodológicas dos estudos primários podem ter contribuído para a inconsistência dos resultados. Assim, é necessário que novos estudos sejam realizados sobre a abordagem não farmacológica, porém com delineamento mais rigoroso, de forma que seus resultados permitam conclusões aplicáveis à pratica clínica.

+www