Lesão renal aguda em paciente feminina com carcinoma de ovário

postado 22/03/2019

Relatores : Dra. Marcela M. Frediani e Dr. Francisco Z. Mattedi


Instituto do Cancer do Estado de São Paulo (ICESP) – Faculdade de Medicina da USP


IDENTIFICAÇÃO :


Sexo feminino, 42 anos, parda, evangélica, natural da Bahia e procedente de São Paulo-SP.


HISTÓRIA DA DOENÇA ATUAL :


Cefaléia holocraniana com piora progressiva há 15 dias, associada a visão borrada e lesões purpúricas nos pés. Negava queixas associadas aos sistemas urinário e gastrointestinal. Paciente tem diagnóstico de carcinoma de ovário com mestástases linfonodais, diagnosticado há menos de 1 ano; foi iniciado tratamento quimioterápico com carboplatina e paclitaxel 1 mês após o diagnóstico.


ANTECEDENTES PESSOAIS :


Esclerodermia paraneoplásica comprovada por capilaroscopia ungueal e biópsia de pele, desde há cerca de 6 meses, quando  apresentavou quadro de acrocianose, artralgias e disfagia para sólidos.


EXAME FÍSICO :


À admissão hospitalar estava com PA de 180x100 mmHg, FC 100 bpm, espessamento da pele nos braços, pernas e abdomen, além de telangiectasias periungueais e fenômeno de Raynaud em mãos.  Sem déficit neurológico focal. Paciente desenvolveu hemoptise e dispneia, sendo admitida na UTI.


EXAMES COMPLEMENTARES:


Avaliação laboratorial mostrou lesão renal aguda (Creatinina 2,1 mg/dL – prévia de 1,0), trombocitopenia (plaquetas 43.000 mm³), anemia normocítica (hemoglobina 9,1 mg/dL), haptoglobina < 10 (normal: 30 – 200), desidrogenase láctica (DHL) 1852 UI/L (normal: 125-225), reticulócitos 3,5% (normal: 0,5-2,0%) e velocidade de hemossedimentação (VHS) 54 mm (normal: 15 mm). Urinálise mostrou proteinuria ++ , 5 hemácias por campo de grande aumento, com dismorfismo eritrocitário. Relação proteína/creatinina em amostra isolada de urina de 5,29g/g. Perfil imunológico mostrou FAN positivo 1/1280, anticorpos anti-musculo liso positivo 1/40 (padrão vascular). Demais avaliações imunológicas negativas: anti Ro, anti La, anti Sm, anti RNP, anti-topoisomerase, ANCA, anti-DNA. Fator reumatoide e frações do complemento normais.  Tomografia de crânio normal.  Sorologias para hepatite B, C e HIV negativas.


EVOLUÇÃO :


Evoluiu com insuficiência renal rapidamente progressiva, hipertensão e anemia hemolítica microangiopática. Com a piora da função renal, iniciado hemodiálise. Devido a gravidade do quadro clínico, a paciente recebeu pulsoterapia com metilprednisolona 1g/dia por 3 dias, alem de outras medidas de suporte,  e realizada biópsia renal.

+www